Mário Rolando

Muito mais do que um padeiro – o que já seria bastante, sendo o pão o mais nobre dos alimentos -, Mário Rolando é um filósofo do pão. Não se trata de uma opção de vida; é antes uma vocação natural, que vem de longe, desde os dias em que amassava e cozia o pão com a bisavó, no Algarve – fazer e amassar o pão era, ainda é, um ritual mágico, pleno de sabedoria e cuidados, mas sempre envolto em mistério. Com seis ou sete anos de idade já distinguia e apreciava o pão algarvio, o alentejano, as broas de milho e de Avintes. Formou-se em Direito em Coimbra e especializou- se em Direito da Família e Proteção de Menores, mas acabaria por atender ao fascínio de infância no curso de Produção Alimentar em Restauração no ESHTE. Fez vários workshops e seminários sobre pão e pastelaria em Espanha, Itália, Bélgica e Portugal e concluiu o mestrado em Ciências Gastronómicas. Mas não para de pesquisar, experimentar e viajar para aprender. Mário é mestre de pão – um estudioso, um cientista, o poeta do primeiro e último dos alimentos. Como uma missão, partilha a sua paixão e conhecimento com os alunos na Associação de Cozinheiros Profissionais de Portugal (ACPP) e no Centro de Formação Profissional para o Sector Alimentar (CFPSA) da Pontinha, para que se eternize a arte originária de fazer o pão verdadeiro: o pão que é vida e saúde, o pão que é alma, saber e coração.